top of page

Aulão multidisciplinar do Galt reúne alunos em tarde de sábado

Atualizado: 4 de jul. de 2023

Uma tarde recheada de muito conhecimento compartilhado e boas risadas. Assim foi o aulão sobre “conflitos mundiais: o que a biologia tem a nos dizer?”, evento promovido e organizado por docentes das cadeiras de biologia, história e geografia do Galt. A aula multidisciplinar aconteceu na tarde de 6 de maio, no Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub).


O tema foi proposto pelo professor de biologia Andrey Duarte, durante uma reunião de cadeira. Segundo o docente, o tema seria uma boa forma de falar com os alunos sobre diversos conteúdos das ciências biológicas como microbiologia, botânica, genética, fisiologia, ecologia e zoologia. A coordenadora de biologia, Stefane Soares, conta que após decidirem o tema, outros professores integraram o grupo que ministrou a aula. “Depois vieram a história e geografia, e eles agregaram mais sobre impactos, contextualização e fechamos [o conteúdo] em ‘armas biológicas e químicas’”, relembra.



Alunos e professores no aulão do Galt realizado no Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub). Fonte: Arquivo/Galt Vestibulares

Ao longo da história da humanidade, tivemos diversos eventos trágicos envolvendo o uso de agentes químicos e biológicos usados de maneira antiética para conquistar nações e dizimar populações. “É assustador quando nos damos conta do quanto ao longo da história, os conhecimentos científicos foram e são utilizados para destruir nossa espécie e as outras”, analisa Stefane Soares.


Aula multidisciplinar e presencial


Se você é ou foi aluno de turmas on-line, provavelmente vai concordar com a estudante Talita Gonçalves, aluna do turno noturno no Galt. Na opinião da jovem, nem sempre é fácil compreender o conteúdo nas aulas virtuais. “No aulão é outra coisa, com o professor presencial você pode aprender mais”, avalia.


Dentre os conteúdos abordados durante a aula, um deles foi a varíola, doença erradicada desde os anos 1980. Talita conta que não conhecia detalhes da doença, mas que na aula conseguiu compreender melhor seus impactos no mundo. “Tinha muita coisa que eu não sabia e foi esclarecida hoje”, contou.


Já para Sarah Duarte, aluna do turno vespertino, o conteúdo mais complicado foi história. “Estudar guerras, armas biológicas e armas químicas, me deixou bem confusa, mas eu aprendi bastante, os professores foram bem esclarecedores”, diz. Ela destaca também que o formato do aulão auxilia no aprendizado. “Você não está ali sentada, aprendendo por meio de um método tradicional, [no aulão] você fica mais livre, mais solto, aprende com risadas. O aprendizado é mais dinâmico e orgânico”, explica.


As ciências caminham juntas


A primeira participação no aulão do Galt foi marcante para Letícia Pena, coordenadora de história e professora de História do Brasil. Ela conta que o evento foi uma chance de se aproximar mais dos colegas docentes e também dos alunos, que tiveram a oportunidade de aprender e se divertirem. “Foi um momento fora de sala de aula que eles conseguiram juntar as duas coisas: conhecer os colegas e professores e aprender mais e de forma descontraida”, avaliou.


Junio Guimarães, professor de biologia, concorda que os aulões contribuem para que

Professor Junio Guimarães no Aulão do Galt. Fonte: Arquivo/Galt Vestibulares

alunos e professores interajam e conheçam pessoas de outras turmas. “É muito importante durante o evento ter o conteúdo de forma multidisciplinar, são informações que são boas tanto para o aluno quanto para o professor que consegue melhorar os conhecimentos em outras disciplinas por causa desse formato multidisciplinar”.



Segundo o coordenador de geografia, Guilherme Pimenta, a experiência de participar do aulão foi sensacional. “Muita gente veio, os professores estavam muito bem preparados, a gente conseguiu explicar bastante conteúdo”, comentou. Na opinião do coordenador, eventos como estes são ótimas oportunidades de ensinar aos docentes diferentes formas de transmitir o conteúdo. “Nós falamos do mesmo assunto, mas ele vem com uma perspectiva que a gente consegue abrir os olhos do aluno para determinado assunto e temas”, destaca.


“A multidisciplinaridade acrescenta [conhecimento] de uma maneira que o aluno consegue sair um pouco da caixa sobre o que é a disciplina de geografia ou de história para conseguir entender que tudo é conhecimento e articular muito melhor” - Guilherme Pimenta , coordenador de geografia

Equipe de docentes do Galt. Fonte: Arquivo/Galt Vestibulares

Conhecimento premiado


Quem não gosta de um sorteio, não é mesmo? Ainda mais quando isso vem acompanhado de brindes como livros, caixa de bombom, voucher de cinema, jogos, garrafinha dentre outros mimos. Ao chegarem ao aulão, os estudantes receberam um número para concorrer ao sorteio. Caso fosse sorteado, o aluno deveria responder uma questão relacionada à biologia, história e geografia ou poderia desistir caso não soubesse ou não quisesse participar. As questões foram retiradas de provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), quando o aluno acertava ele ganhava um prêmio.

Alunos do Galt segurando os brindes que foram sorteados durante o aulão. Arquivo/Galt Vestibulares

“Os professores mediaram de forma que o estudante elaborasse o mais completo possível, não bastava só uma resposta simples, a oratória era um requisito avaliado e após os professores tentavam reforçar o conceito apresentado na questão”, explicou a Stefane Soares.


Para Talita Gonçalves, aluna do Galt, o momento descontraído além de proporcionar um prêmio, também foi uma forma de incentivar os estudantes a observarem mais atentos a todo conteúdo apresentado. “É bem legal porque valoriza o aprendizado, você presta mais atenção para responder certo e concorrer ao sorteio”, diz.


“Existe um motivo para abordarmos esses conteúdos em sala. Eles são importantes e necessários para a formação do indivíduo. É assustador quando nos damos conta do quanto, ao longo da história, os conhecimentos científicos foram e são utilizados para destruir a nossa e outras espécies” - Stefane Soares, coordenadora e professora de biologia.


Por: Wanessa Alves - Galt Vestibulares

Revisão: Vinícius Zandonai

122 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page